Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Março de 2015 / Câmara de Nova Andradina celebra Dia Internacional da Mulher com sessão solene

Câmara de Nova Andradina celebra Dia Internacional da Mulher com sessão solene

por Marcos Matos publicado 07/03/2015 19h01, última modificação 19/05/2015 23h12
Vereadores homenagearam a trajetória de 11 mulheres que se destacam em diversos segmentos da sociedade

Para marcar as comemorações do Dia Internacional da Mulher, a Câmara de Nova Andradina realizou na noite desta quinta-feira (5), sessão solene em que celebrou a trajetória de mulheres na conquista de seus direitos e no exercício da cidadania.

Foram 11 mulheres homenageadas. Agricultoras, enfermeiras, educadoras, cantoras, mães, enfim mulheres que contribuíram e que ainda contribuem para a instrução deste município e lutam cotidianamente por seu espaço na sociedade.

Cada vereador indicou uma mulher para receber o “Troféu Mulher” e o reconhecimento do Legislativo pelos relevantes serviços prestados nas mais diversas áreas da sociedade nova-andradinense.

O público, formado por familiares e amigos das homenageadas, lotou o Plenário Sidney Sanches.

Regada de muita emoção, a solenidade contou com apresentação do coral do Projeto Conviver e, a leitura bíblica foi feita pela Pastora Fátima Regina Haupt. Ao final, vários brindes foram sorteados para as mulheres presentes.

Ao lado do Presidente da Casa de Leis, Cido Pantanal (SD) compuseram a mesa de autoridades o vice-prefeito Milton Sena, a secretária de Cidadania e Assistência Social, Jozeli Chulli; a comandante do 3º Subgrupamento do Corpo de Bombeiros de Nova Andradina, Major Tatiane Dias de Oliveira Inoue; a presidente da Associação Comercial e Industrial de Nova Andradina (Acina), Veridiana Kanashima e a presidente da União das Associações de Bairro de Nova Andradina, Maria Noemi Ferreira.

O prefeito Roberto Hashioka, no ato representado por Jozeli Chulli, deixou sua mensagem parabenizando todas as mulheres que se destacam no contexto da cidade.

Em seu discurso, o Presidente do Legislativo destacou a importância da mulher em todos os setores da sociedade. “Destaco a história de vida de cada uma de vocês, que muito acrescentaram e acrescentam para o progresso e Nova Andradina, independente das áreas em que atuaram e atuam”.

O Vereador também reforçou o compromisso do Parlamento Municipal em efetivar ações que beneficiem todos os munícipes de Nova Andradina. “Em nome de todos os vereadores quero dizer que estamos à disposição tanto do Executivo, Judiciário, clubes de serviços e cidadãos nova-andradinenses para juntos efetivarmos ações e promovermos novos eventos para que no dia 8 de março, todas as mulheres, sem exceção, possam comemorar seu dia no mais completo significado da palavra igualdade”, reforçou.

As homenageadas são: Josefa Batista dos Santos (vereador Adriano Palopoli); Maria da Silva Alves (Valmirá do Pax); Lélia Rodrigues (Newton Luiz de Oliveira); Neuza Serra de Oliveira Negrine (Quemuel de Alencar); Verenita Maria de Jesus (Robertinho Pereira); Maria Aparecida Procópio Antônio (Valter Yasunaka); Fabiana Maria Diniz (Vicente Lichoti); Maria Aparecia Suci Gama (Sandro Hoici); Natalina Francisca de Oliveira Santi (Ricardo Lima); Valfrida Barbosa Lima (Zé Bugre) e Maria Aparecida Pereira (Cido Pantanal).

 

As homenageadas:


DSC_1185.JPGJosefa Batista dos Santos nasceu no dia 2 de janeiro do ano 1942. Casada desde 1964 com, João Batista dos Santos com quem teve seis filhos: Gerson, Gercilio, Gilberto, Jose Batista, Erenita e Luzia Batista dos Santos, dos quais nasceram 14 netos e 4 bisnetos.

Chegou ao Vale do Ivinhema há 23 anos. Dona Josefa sempre trabalhou com horta, plantando e cultivando verduras e legumes, em sua propriedade, no Assentamento São Luís, no município de Batayporã, e que ela mesma comercializa há mais de 15 anos em Nova Andradina.

Aos seus 73 anos, continua firme na sua jornada de mulher: esposa, guerreira, forte, lutadora, mãe dedicada e religiosa católica atuante, e sonha em ter seus filhos todos em volta dela.

 

DSC_1193.JPG

 

Maria da Silva Alves nasceu no dia 5 de junho de 1939, no município de Álvares Machado, Estado de São Paulo.

Sua história em Nova Andradina iniciou em junho de 1966, que com muitas dificuldades obrigou o esposo a trabalhar nas fazendas: Primavera, Silvana e Baile, quando se ausentava de casa por mais de 40 dias.

Dona Maria, diante dessa realidade, cuidava sozinha dos filhos, e trabalhava com horta no plantio de verduras e como costureira. Mesmo diante de todas essas dificuldades, sempre se mostrou companheira e amiga de todos.

 

 

DSC_1202.JPG

 

 

Lélia Rodrigues nasceu no dia 10 de fevereiro de 1924, na cidade de Araçui, estado de Minas Gerais.

Aos 23 anos de idade, casou-se com João Alves Rodrigues em 17 de setembro, e viveram juntos por 9 anos, quando ficou viúva.

A família chegou em Nova Andradina no ano de 1972. Depois de algum tempo conheceu Hélio Rodrigues Teixeira, com quem viveu por dezoito anos, ficando viúva pela segunda vez.

Dos casamentos nasceram 10 filhos, 38 netos e 5 bisnetos. Sua vida sempre foi pautada pelo trabalho pesado, pois cortava madeira, com uma serra traçador, para ajudar o marido no sustento da família.

Com o objeto cortava árvores para abrir ruas e estradas, objetivando o desenvolvimento do Município, e as madeiras eram aproveitadas pelos Administradores da cidade para construção de casas.

 

 

 

 

DSC_1209.JPGNeuza Serra de Oliveira Negrine nasceu em Terra Rica-PR, em 03 de maio de 1961.

Em 1987 mudou-se para Nova Andradina, a convite do então secretário Estadual de Saúde, Dr. Alfredo Arruda, assumindo o cargo de supervisora técnica do núcleo regional de Nova Andradina.

Atuou nos municípios de Nova Andradina, Batayporã, Taquarussu, Ivinhema, Angélica e Novo Horizonte do Sul; implantando e implementando todos os programas de saúde pública.

Foi enfermeira responsável pela implantação da municipalização da saúde nos municípios jurisdicionados do núcleo regional de Nova Andradina.

Em 1992, assumiu a coordenação técnica da vigilância epidemiológica e imunização e, organizou as primeiras equipes da saúde da família do município.

Desde 2013, Neuza é responsável operacional pelo Centro de Especialidades Médicas (CEM).

 

DSC_1215.JPGVerenita Maria de Jesus nasceu na cidade de Salinas, estado de Minas Gerais, em 7 de julho de 1945.

Há 42 anos vive em Nova Andradina, onde iniciou sua vida profissional tralhando como cozinheira nas fazendas Primavera e Santa Lúcia, passando, em seguida,  a trabalhar no estabelecimento da Srª Almesinda Costa, cozinhando e lavando roupas, tempos estes de muita luta e grandes provações.

Sempre dedicada às suas atividades, se dividia entre o trabalho e a criação dos filhos, sendo que até hoje não mede esforços na luta pelo bem de seus entes queridos.

Venerita sempre prezou pela honestidade, integridade, temor a Deus e garra para criar e educar seus filhos.

 

 

DSC_1222.JPGMaria Aparecida Procópio Antônio nasceu aos 26 dias de outubro do ano de 1947, na cidade de Presidente Venceslau, estado de São Paulo.

Terceira filha, de oito irmãos, do casamento de José Procópio e Maria Balbina Procópio, pioneiros no município de Nova Andradina.

Maria Aparecida Procópio Antonio, chamada carinhosamente de Dona Cida do Mandi, chegou a esta cidade no ano de 1958, então com 11 anos de idade.

Dona Cida foi a primeira a exercer a profissão de açougueira nesta cidade. Mulher guerreira, disciplinada, não deixou de sonhar em alçar novos vôos, iniciando assim, uma nova caminhada, dedicada ao Magistério.

Em 1986, na cidade de Bataguassu, conclui o curso de Formação Docente em nível Médio, quando então professora, leciona, pela primeira vez, na Creche Shalon, em Nova Andradina. Assumindo em 1996 a direção do Centro de Educação Infantil Shalon.

Durante sua trajetória profissional, de açougueira à diretora de escola, participou como membro de diversos conselhos e programas em prol dos cidadãos nova-andradinenses.

 

DSC_1230.JPGFabiana Maria Diniz tem 33 anos, é natural de Campinas-SP, e mora em Nova Andradina a cerca de sete anos.

Mãe de quatro filhos, Fabiana encontra tempo, com a colaboração do marido, para fazer uma das coisas que mais gosta: cantar.

O sonho de adolescência foi recentemente construído: uma banda de rock.

Fabiana se considera uma representação da mulher do século XXI: moderna, inteligente, trabalha fora, cuida dos filhos, tem sua banda, seus amigos e sua independência.

Sempre atenta às mudanças tecnológicas, sociais, políticas e econômicas, defende que a mulher deve conhecer seus direitos garantidos por lei e buscar a ampliação dos mesmos.

 

DSC_1240.JPGMaria Aparecia Suci Gama nasceu no dia 22 de fevereiro de 1960, na cidade de Dracena/SP.

Chamada carinhosamente por familiares e amigos como Nika, ela chegou em Nova Andradina com sete anos de idade, no ano de 1967, onde iniciou sua vida estudantil no colégio Marechal Rondon, e depois deu continuidade na Escola Adventista.

Em 1979, teve seu primeiro trabalho, e já como enfermeira no hospital Cristo Rei, trabalhou com o Dr. Enio Guedes e Dr. José Papa até o ano de 1993.

Após 14 anos no hospital Cristo Rei, foi contratada para trabalhar na Santa Casa, e até hoje continua no mesmo local, atualmente hospital Cassems.



DSC_1248.JPGNatalina Francisca de Oliveira Santi nasceu na cidade de Ouro Verde, estado de São Paulo, no dia 25 de dezembro de 1957.

No mesmo ano, a família mudou-se para Nova Andradina, onde Natalina conheceu e se casou com Irineu Santi, no dia 25 de abril de 1976. Do casamento tiveram dois filhos do coração: Ivo Santi e Patrícia Santi, e depois vieram os netos.

Natalina, soube equilibrar sua vida familiar com o trabalho externo, quando decidiu assumir a direção da Auto Mecânica Santi, junto com o esposo Irineu, onde administra o setor financeiro: compras, vendas, pagamentos, recebimentos, além dos serviços burocráticos da empresa, demonstrando competência e autoridade na execução de ações, num ambiente predominantemente masculino.

Ligada à Igreja Católica, foi catequista por 18 anos, contribuindo com a comunidade e ajudando crianças e jovens na sua evangelização.

Ao lado do esposo Irineu Santi, reconhece que venceram juntos, com trabalho e dedicação, trazendo solidez à empresa que se consolidou como uma das mais prósperas nesses últimos 25 anos de atuação em Nova Andradina.


DSC_1260.JPGValfrida Barbosa Lima nasceu no dia 29 de abril de 1961, na cidade de Mirante do Paranapanema, Estado de São Paulo.

Em 1966, Valfrida e a família mudaram-se de São Paulo para o Mato Grosso do Sul, vindo residir no bairro Pouso das Araras, no município de Taquarussu.

No ano de 1979, casou-se com Miguel Pinto Lima, na cidade de Batayporã, sendo que do casamento nasceram dois filhos: Maria Elaine e Alan Junior.

Em 1981, o casal estando desempregado muda-se para Nova Andradina, para trabalhar como cortadores de cana, na antiga Empresa Xavante até 1982, quando foram trabalhar como caseiros em uma fazenda da região.

Durante onze anos exerceu a profissão de confeiteira, o que a tornou conhecida na cidade, quando também passou a produzir bolos para festas de aniversários e casamentos.

Em 1996, resolveu mudar de seguimento, porém, sabendo que sua vocação é atuar com vendas, passou a comercializar artigos e produtos importados do Paraguai. Hoje, Valfrida é produtora rural e microempresária, proprietária da Loja “Confecções Santa Terezinha”.


DSC_1268.JPGMaria Aparecida Pereira nasceu no dia 19 de outubro de 1964 em Martinópolis, estado de São Paulo.

Em meados de 1974, aos dez anos de idade chegou em Nova Andradina com os pais e a irmã Mirian.

Maria nunca teve uma vida fácil, mas também nunca deixou de lutar para conquistar seus objetivos. Para ajudar os pais nas finanças de casa, aos oito anos de idade conseguiu seu primeiro emprego como babá. Alguns anos mais tarde, começou trabalhar como doméstica para a mesma família, dedicando 15 anos de sua vida.

No ano de 1988, foi contratada pela Prefeitura de Nova Andradina como professora, assumindo o cargo na creche Elizabeth Robiano. Maria também lecionou nas escolas Mundo da Criança e Pingo de Gente e, na escola estadual Fátima Gaiotto Sampaio por três anos.

Em 1994, passou no concurso público municipal e efetivou-se como professora.

Há seis anos, ela aceitou o desafio de dirigir o Ceinf Luiz Carlos Sampaio, lugar que tem muito orgulho de estar à frente.

Fonte: Aline Leão / Assessoria

Fotos: Indalécio

Mídias Sociais